SAIBA QUAL É A RELAÇÃO ENTRE "LED ZEPPLIN" E A TRILOGIA "O SENHOR DOS ANÉIS"


Algumas canções da banda inglesa Led Zeppelin, que marcou a história do rock durante os anos 70, são inspiradas no romance O Senhor dos Anéis, do escritor inglês John Ronald Reuel Tolkien. Em sua obra mais famosa, Tolkien criou um universo imaginário em que vários reinos lutam por um anel mágico. O romance, dividido em três volumes lançados entre 1954 e 1955, teve um sucesso modesto no início, nada que se compare à popularidade atual – principalmente após a adaptação da obra para o cinema. Para entender a relação entre o Led Zeppelin e o fantástico universo de Tolkien é preciso voltar a meados da década de 60, quando o movimento hippie – que pregava o lema “paz e amor” e questionava vários costumes vigentes – teve contato com os livros do escritor e ajudou a divulgá-los.

“Em 1965, a editora Ace Books publicou uma edição pirata de O Senhor dos Anéis, que virou mania entre os universitários americanos, graças à temática pacifista e até ambientalista do enredo, os hippies se identificaram com o livro”, afirma o jornalista Reinaldo José Lopes, editor do site Valinor, especializado na obra de Tolkien. Há também a lenda de que a chamada pipeweed (“erva de cachimbo”) citada no romance seria uma analogia à maconha. Tolkien deixou claro que a erva era simplesmente uma variedade de tabaco, mas essa analogia também ajudou a popularizar os textos entre os hippies. Formado em 1968, no auge desse movimento de contracultura, o Led Zeppelin acabou influenciado pela obra, a ponto de usar, em algumas letras, referências a personagens e situações do livro.




Misty Mountain Hop
(Led Zeppelin IV)
So I’m packing my bags for the Misty Mountains
(Então, eu estou arrumando minhas malas para a Montanha Enevoada)
Where the spirits go now
(Aonde os espíritos vão neste momento)
Over the hills where the spirits fly
(Sobre as colinas onde os espíritos voam)
Uma das referências mais conhecidas do grupo à saga de O Senhor dos Anéis está nesse trecho de “Misty Mountain Hop”. No mundo criado por Tolkien, a Montanha Enevoada separa o Leste do Oeste na chamada Terra-Média
Ramble On
(Led Zeppelin II)
T’was in the darkest depth of Mordor
(Nas profundezas mais sombrias de Mordor)
I met a girl so fair
(Conheci uma garota tão justa)
But Gollum, the evil one, crept up
(Mas Gollum, o malvado, rastejou acima)
And slipped away with her
(E escapuliu com ela)
Esse trecho da música pode ter duas interpretações: seria uma referência à estada de Frodo (um dos heróis da história) em Valfenda ou sua passagem por Lothlórien, duas regiões citadas no romance. Mordor é uma terra governada por Sauron, o Senhor do Escuro, uma espécie de força maligna. Gollum é outro personagem do livro e foi um dos guardiães do anel mágico
Battle of Evermore
(Led Zeppelin IV)
Queen of Light took her bow
(A Rainha da Luz pegou seu arco)
And then she turned to go
(E se virou para partir)
The Prince of Peace embraced the gloom
(O Príncipe da Paz abraçou a tristeza)
And walked the night alone
(E caminhou pela noite sozinho)
Toda a letra da música descreve a Batalha dos Campos de Pelennor, que está na terceira parte do livro. No trecho acima, acredita-se que a Rainha da Luz seja Éowyn, uma heroína que enfrenta o Rei Bruxo, o mais poderoso servo de Sauron. O Príncipe da Paz seria o guerreiro Aragorn, que se despede de Éowyn para unir-se aos companheiros

Via: Panda Largo
Compartilhe no GooglePlus

Sobre Odney Sales

Blogueiro, poeta e fundador do blog de tutoriais Odney Sales Tutoriais do blog de poesias Poesias de Odney Sales do site de humor Humorada Mente e do meu blog pessoal Blog do Odney Sales. Obrigado por ler os meus artigos. Volte sempre!