TOP 10 DOS IDIOMAS SECRETOS QUE TALVEZ VOCÊ NUNCA OUVIU FALAR

Existem algumas línguas secretas no mundo de hoje falada e compreendida apenas por um certo grupo de pessoas. E esses grupos vão de curandeiros tradicionaislutadores profissionaiscidadãos de comunidades específicas e até criminosos. Trouxemos para você, uma lista com 10 idiomas secretos explicados detalhadamente. Confira!

 10. Língua do “P” 
Usada tanto por criança quanto por adultos, esta língua que hoje é considerada por muitos como apenas uma brincadeira, foi usada primeiramente em torno de 1869 no EUA. Para se usar a língua do você pode ver um tutorial disponível aqui

 9. Leet 

Leet, também conhecido como leetspeak, ou Hackspeack é uma alternativa ao alfabeto usado principalmente na internet. Ele usa várias combinações de caracteres ASCII para substituir letras do alfabeto latino. Por exemplo, a própria palavra leet tem diversas variações, quando é escrita em leet como l33t1337 ou l337.O Leet foi iniciado por um grupo de hackers de elite na década de 1980. Eles o usaram para passar mensagens secretas entre os membros. No entanto, alguns usuários da Internet conseguem ler este idioma, embora com alguma dificuldade. Computadores não podem ler Leet, assim spammers em e-mails. Alguns usuários de Internet também o usam para criar senhas, que são difíceis para os softwares usados por hackers quebra-la, mas são fáceis para os usuário se lembrar.

 8. Polari 

Polari começou como um meio de comunicação entre os marinheiros britânicos no século 19, mas tornou-se a linguagem não oficial de gays britânicos entre os anos 1930 e 1960, quando ser gay era ilegal na Grã-Bretanha. Polari permitiu que os homossexuais conversassem secretamente entre si e fizessem conversas com estranhos que eles pensassem serem gays. Se o estranho respondesse, eles sabiam que eram, mas se não, continuariam cuidando de seus negócios – tudo sem dar uma pista de sua sexualidade.
Em Polari, o sexo é chamado de “trade”, enquanto “cottaging” refere-se ao ato de procurar parceiros nos banheiros. “Vada” significa “olhar”, “dolly eek” refere-se a um rosto bonito, e um “chicken” é um jovem. Os policiais são chamados de “sharpy”, “lilly law”, ou “charpering omi”, enquanto um homem atraente é chamado de “prato”. Um telefone é chamado de “tubo polari”.

 7. Boontling 

Boontling foi a língua não oficial de Boonville, Califórnia, EUA, de 1880 e 1920. É uma mistura de várias línguas do nativo americano, espanhol, e palavras criadas pelos moradores da época. Uma razão pela qual Boontling permanece confinado a Boonville é por causa de gírias que os moradores locais temem que forasteiros usem para zombar deles, pois foram formados a partir dos nomes e características dos habitantes locais.
“Jeffer”, por exemplo, significa “fogo”, e “jeffer” significa queimar. Ambos foram nomeados
após um homem chamado Jeff Vestal, que gostava de começar fogos onde quer que fosse.
Da mesma forma, “charlie” alguém que gosta de envergonhar. Foi nomeado após um homem indígena americano chamado Charlie Ball, que era famoso por sus constrangimentos. Há também “shoveltooth”, que significa médico. Foi nomeado devido um dos doutores local ter os dentes largos.

“Tige” significa “louco” e foi nomeado graças a um bêbado apelidado de Tige, que ganhou o apelido devido seu hábito de cantar a música “Hold That Tiger”. A arte de falar Boontling é chamada “harpa”, e um dicionário de Boontling pode ser encontrado aqui (em inglês, é claro).

 6. Carnie 


Os lutadores profissionais usam o Carnie para falar entre si, mesmo se estão na frente de um público. Sua origem vem do início da luta livre profissional, quando alguns trabalhadores a usaram para se comunicar durante simulações de partidas de luta livre.
Em Carnie, “eaz”, que é pronunciado “ee-uhz”, é adicionado antes da vogal de cada sílaba. Além de acrescentar “eaz” às palavras em inglês, Carnie contém várias palavras de gíria, como “Andre shot”, que é nomeado em homenagem ao Andre o gigante e refere-se ao exagero físico.
Há também “beat down”, que é usado quando um lutador é espancado por um grupo de lutadores, E “canned heat“, que ocorre quando grito são adicionados à arena de luta através de alto-falantes.

 5. Lunfardo 

Prisioneiros na Argentina usam Lunfardo para comunicarem secretamente entre si. A língua, que foi usada pela primeira vez por membros da classe baixa de Buenos Aires, contém palavras de línguas como o espanhol e o italiano. Tem mais de 5.000 palavras, e um de seus pilares é o uso do verso – a troca das sílabas de uma palavra. Café, por exemplo, é feca.
Lunfardo foi popularizado na Europa pela proliferação do tango, que a denotou como uma linguagem violenta e sexual. Em 1943, seu uso na música de tango foi proibido a pedido dos moralistas, cujas sobrancelhas foram levantadas depois que os jovens começaram a usá-la. Seu uso entrou em declínio na década de 1950, mas voltou na década de 1960. Veja um dicionário Lunfardo em espanhol, aqui.

 4. Swardspeak 


Swardspeak, é a linguagem secreta usada por gays nas Filipinas. Foi formado devido à atitude hostil da comunidade com os homossexuais. É uma mistura de inglês, espanhol, japonês, e várias línguas nativas filipinas, incluindo Tagalog, Cebuano, Waray, Bicolano e Hiligaynon. Nomes de políticos locais, estrangeiros, celebridades e marcas também são adotados como palavras em Swardspeak. “Sward” é gíria filipina para “gay”.
Swardspeak não tem regras ou padrões fixos , e diferentes localidades têm seus próprios dialetos. As palavras são adicionadas quando necessário e removidas quando não são. Algumas pessoas substituem a primeira letra de uma palavra de Swardspeak por uma combinação de uma ou duas letras e substituem os sons de vogal “a”, “o” e “u” por “er”, “or” e “ur” Para fazê-lo soar como uma língua estrangeira e confundir ainda mais aqueles que não falam o idioma.

 3. Thieves’ Cant 


Também conhecida como Rogue’s Cant ou Peddler’s French, Thieves ‘Cant era uma língua favorita para a comunicação secreta entre ladrões e mendigos em vários países anglófonos, incluindo a Grã-Bretanha. Seu uso vem diminuindo fortemente, embora ainda seja usada por gangues nos EUA e na Grã-Bretanha. Existem duas versões do Thieves ‘Cant (Canto dos Ladrões, em tradução livre): Thieves ‘Cant Simples e Thieves ‘Cant Avançado.
Thieves ‘Cant Simples é o mais popular dos dois e foi usado por criminosos novatos, cidadãos de classe baixa e agentes de aplicação da lei. Thieves ‘Cant Avançado, que muitos falantes Thieves’ Cant não sabiam que existia, foi usado por criminosos de nível mais alto. Mesmo assim, raramente era usado ou escrito, e só podia ser aprendido oralmente de um criminoso experiente.
Em “Thieves ‘Cant Simples”, um criminoso é chamado de “pegador de pombos”, uma vítima é chamada de “pombo” e a arte de falsificar dinheiro é chamada de “Desenho do Rei”. “Diamante” é “urtel”, “fazenda” é “narak”  e “Olá” é “syetonta”.

 2. Nushu 


Nushu, que significa “escrita feminina“, é uma linguagem usada apenas por mulheres chinesas. Originou-se na província chinesa de Hunan por volta de 15 A.C, quando mulheres – que eram proibidas de obter uma educação – formaram e a usaram para se comunicar secretamente entre si. A língua era um segredo bem-guardado e foi descoberta apenas na década de 1980.
Alguns de seus personagens foram derivados da língua chinesa, enquanto outros foram inventados. Como o chinês, Nushu é escrito e lido de cima para baixo e da direita para a esquerda. Mas ao contrário do chinês, suas escritas ocupam menos espaço e contêm linhas mais curvas. O último falante Nushu proficiente foi Yang Huanyi, que morreu com 94 ou 98 anos (não se sabe o certo), em 2004.

 1. Kallawaya 


idioma Kallawaya é falado exclusivamente por membros da tribo Kallawaya da Bolívia. Os Kallawayas, que residem em seis aldeias da região de Apolobamba na Bolívia, são curandeiros médicos tradicionais que usam a língua para fins de cura, embora às vezes usam isso em suas conversas diárias.
A língua kallawaya foi derivada da língua quíchua falada pelos incas. Não está escrito, mas sim transmitido oralmente de pai para filho ou de um curandeiro especialista para seu aluno. As crianças estão isentas de aprender Kallawaya, e é reservado apenas para adolescentes e adultos que querem se tornar curandeiros tradicionais. Está desaparecendo rapidamente e tem menos de 100 falantes vivos.

Fonte: Trends Pops
Compartilhe no GooglePlus